Skip to main content
search
Bate Papo

Entrevista – Ronaldo S. F.

By August 12, 2021No Comments

Entrevista Ronaldo S. F.

Já fui locutor de rádio…apresentador de televisão…no entanto, desde 2013 trabalho exclusivamente com locução comercial.

Ouça a Entrevista:

Como você começou na carreira?

Desde criança sempre fui um apaixonado pelo rádio. Na adolescência ouvia e tentava imitar os locutores da Globo RJ: Luis de França, Antonio Luis, Antonio Carlos, Jorge Luis…entre outros. Dormia com o radinho a pilhas debaixo do travesseiro.

Sou natural do Rio de Janeiro, mas vivi minha adolescência em Itabuna, sul da Bahia. Nessa época comecei a ouvir das pessoas com frequência: ”Olha você tem voz de locutor”! Sempre que tinha algo pra ser lido na escola ou na igreja, sempre me convocavam. Aos 17 anos decidi que era isso que queria fazer e resolvi fazer um curso de locução no Rio de Janeiro. O curso tinha duração de 4 meses.

Terminado o mesmo, retornei para o sul da Bahia e imediatamente comecei a estagiar na Rádio Jornal de Itabuna; ao mesmo tempo que comecei gravar publicidade para rádios e TVs locais. Assim foi o meu começo.

Visite o PerfilVisite o Perfil

Qual é a habilidade mais importante para um(a) locutor(a)?

Creio que a habilidade mais importante de um locutor seja a “sensibilidade”.

É ela que vai fazer com que o locutor perceba a alma de cada texto; entregando a interpretação que o mesmo pede de forma natural… espontânea. Aliás, uma locução natural (a qual é tão falada e solicitada hoje) não se trata de uma locução sem emoção…sem inflexões ou nuances… definitivamente não! Uma locução natural, como o próprio nome diz, é uma locução tão bem interpretada e trabalhada, que até soa natural.

Quais são os maiores desafios que essa profissão apresenta no cotidiano?

Um dos maiores desafios diários que a profissão apresenta no cotidiano, é fazer com que clientes, agência, produtoras e locutores, estejam numa espécie de sintonia fina. Pensando na mesma direção. É necessário que todos tenham muito bem definido, um briefing apenas. Digo um briefing apenas, porque as vezes o cliente/empresa está pensando em algo que a agência, produtora e locutor, não conseguiram captar. Isso é desafiador! No entanto, necessário para que o locutor entregue o que foi solicitado e esperado por todos. Essa sintonia fina poupará tempo e dinheiro. Acredite!

Qual a importância de agências de locução como a Loc On Demand para o seu trabalho?

Muito importante ter uma agência como Loc On Demand, pra fazer essa intermediação entre empresas e locutores. É importante para os clientes pois sabem exatamente onde e como encontrar profissionais capacitados para entregar o que exatamente precisam.

Além disso podem escolher entre vários profissionais, o que melhor se adapta ao serviço. É importante para o locutor, o qual pode fazer-se conhecer, assim como ao seu trabalho.

Importante também para agência, a qual possui linha direta com o locutor, sempre que precisar. Enfim, todos ganham em agilidade e qualidade!

Quais são os seus objetivos daqui pra frente? Alguma novidade por vir?

Meus objetivos continuam os mesmos: Entregar cada vez mais, um serviço de excelência! Aumentando cada vez mais a carteira de clientes, os quais estejam satisfeitos!

Qual conselho você daria para quem está começando no ramo?

Por vezes as coisas demoram a acontecer. Geralmente o ritmo é bem mais lento do que gostaríamos. Isso acontece em diferentes áreas da nossa vida.

No quesito “locução”, meu conselho é que se prepare tecnicamente, e jamais pare de buscar conhecimento achando que ja aprendeu tudo. Seja sempre um humilde aprendiz.

Fazendo isso tenho certeza que quando a grande chance bater a sua porta você estará preparado para aproveitá -la. Além disso, respeite os colegas e a sua profissão. Isso é muito importante!

Na atualidade grande parte da publicidade tem sido feita por vozes comuns. As vozes graves, mais marcantes perderam espaço?

Eu não diria que as vozes graves perderam espaço na publicidade. O que eu vejo é que aquela interpretação mais formal, mais dura, deu lugar a uma interpretação mais conversada, mais coloquial; ou seja não importa se a voz é grave média ou aguda,  se não tiver essa interpretação que o mercado pede, aí fica pra trás mesmo.

Mas ainda acho que uma voz mais grave, mais marcante,  se enquadra melhor em alguns produtos e serviços, por exemplo: maquinários pesados, máquinas agrícolas…eu acho que uma voz mais grave, cumpre melhor esse papel. Bem como um institucional que precisa daquela credibilidade, daquela chancela do locutor, a voz grave vai desempenhar melhor essa função.

Via de regra, o mercado hoje pede uma interpretação mais coloquial, mais conversada; por isso os atores tem feito muita publicidade, por que em geral os atores tem uma voz mais leve, entre aspas “mais comum”…e devido a sua naturalidade na interpretação, tem marcado presença no mercado; mas não devido ao seu tom de voz e sim  a sua interpretação.

Em resumo, o dono de uma “super voz”, se ele tiver essa naturalidade de interpretação, tenha certeza que ele esta um passo a frente…não atrás.

Leave a Reply

Open chat
Oi, como posso ajudar?